Últimos assuntos
» [Evento] O Resgate de Nike
Seg Set 10, 2018 11:24 pm por Ryella de Aquário

» [RP FECHADA] Fantasmas do passado.
Qui Set 06, 2018 4:35 pm por Sawyer de Leão

» [RP FECHADA] Gêmeos Renasce.
Qui Set 06, 2018 10:35 am por Sawyer de Leão

» [R] - Ross
Sab Jun 11, 2016 10:44 pm por Ross Barkley

» [RP - FECHADA] Ezra'il e Shiori
Qua Maio 25, 2016 9:03 am por Ezra'il de Dragão Marinho

» 3ª Esfera - Ptolomeia
Qui Maio 05, 2016 3:47 pm por Athena

» Templo de Poseidon
Sex Abr 22, 2016 8:49 am por Poseidon

» Grande Suporte Principal
Sex Abr 22, 2016 8:45 am por Poseidon

» Pilar do Oceano Atlântico Norte
Sex Abr 22, 2016 8:40 am por Poseidon

Parceiros irmãos
Diretórios de recursos
Parceiros elite
Parceiros normais

[FICHA] - Órion de Alraune, Estrela Celeste da Bruxaria

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[FICHA] - Órion de Alraune, Estrela Celeste da Bruxaria

Mensagem por Convidado em Ter Mar 10, 2015 8:55 pm

Nome: Órion McAllister
Idade: 15 anos
Sexo: Masculino
Signo: Touro
Reino: Submundo
Veste: Alraune, Estrela Celeste da Bruxaria

Psicológico: Uma pessoa severa, mas calma. É muito exigente consigo mesmo e até mesmo com os que o rodeiam, pode parecer que esteja a ser impertinente mas é apenas porque não quer desapontar o Imperador do Submundo, Hades, assim como os outros superiores que vagueiam pelo mundo dos mortos.
Órion é calculista, um grande estrategista, pouco instintivo pois pensa sempre duas vezes antes de dar o primeiro passo e cair numa armadilha ou truque dos inimigos, mas tem um grande defeito que é o de ser demasiado orgulhoso o que, por vezes, o levam as fazer avaliações erradas sobre o adversário e acaba sofrendo graves consequências com isso.

Quanto a oponentes não tem qualquer piedade por eles, quando chega a hora de exterminar o ser não perde tempo, porém segue os princípios da honra nunca luta com alguém desarmado ou inocente.

Tem um vasto conhecimento sobre poções, na sua maioria, venenos com distintas consequências e efeitos secundários. Atualmente, depois de ter descoberto o reino do submundo e passar a fazer parte da Guerra Santa aprimorou os seus elixires e adaptou alguns para o ajudarem em batalhas, como regeneração de um pouco de cosmo e recuperação de certas partes da armadura ao ser banhada com uma poção, na qual, o ingrediente principal é sangue de um lemuriano.

Aspetos Físicos: A pele branca característica do povo nórdico da Europa, os olhos ajudam a encaixar Órion num perfil de homem nórdico tendo-os de core azul bebé, igual ao céu. Nariz curto e pequeno, os lábios são carnudos e bem vermelhos que contrastam com a pele clara de Órion.

Já os cabelos são ruivos e longos, são lisos e brilham bastante ao sol, chegam à cintura e têm a mesma largura que a sua cintura. Alguns fios são rebeldes e irreverentes e caem sobre a face do jovem.

Um jovem como qualquer outro, com seu tamanho por volta dos cento e setenta centímetros e com um peso de setenta centímetros. Tem um tronco bem trabalhado devido ao trabalho duro que exercia no mosteiro onde viveu e uns braços com uns músculos consideráveis, nada de mais mas que saltam à vista.

Carrega sempre consigo um saco, preso por um fio à cintura, com algumas poções e elixires que usa para o ajudarem em batalhas ou em qualquer situação que seja necessária a sua utilização.

É ágil e tem muita resistência conseguindo aguentar batalhas durante imenso tempo. As suas armas, em combate de proximidade, são o punhal e em combate a longa distância usa uma besta.

Habilidades:
Fitocinese: Órion tem a capacidade de manipular as plantas, não no sentido de as arrancar e usar como armas mas em termos mais específicos. O jovem controla as suas folhas e pétalas, podendo, a partir do sue cosmo, arrancá-las e/ou criá-las para serem usadas como defesa ou como ataque de uma forma improvisada ou mais bem estudada.

Técnicas:

História: Órion pouco ou nada sabe sobre as suas origens… Não conheceu os seus pais e viveu toda a sua vida num mosteiro em Yorkshire no qual, pelo que ele pensa, os seus pais o abandonaram à nascença.

Neste mosteiro, Órion, nunca fora o mais bem recebido nem o mais famoso, pelo menos não pelo lado positivo. Ao início se esforçava imenso no trabalho do mosteiro, o seu trabalho se resumia ao campo, tratava de todo e qualquer trabalho relacionado com este, por isso, que ganhou o seu físico imponente. Estudava imenso e cumpria todas as regras sem qualquer exceção.

Isto enquanto fora protegido pelo único frade que lhe dera atenção, Welligton fora como um pai para Órion, o mimava, o apoiava e acima de tudo o protegia de todos. Mas isso apenas durou doze anos… Ao fim de dez anos de relação Welligton morreu… Jacob pensa que fora assassinado, já que, todos no mosteiro não achavam que Jacob pertencesse àquele lugar.

Órion usufruía de todos os “luxos” do mosteiro sem qualquer valor, ao contrário de todos os outros que pagavam imenso pelo boa educação que ofereciam, sem protetor, e apenas com dez anos de idade, Jacob era alvo de ofensas e críticas constantes quer por parte dos alunos quer parte dos outros frades.

Foi desta forma que Órion viu o quanto o mundo é corrupto e é uma fraude. Os maus fingem ser bons e enganam os tolos, o egoísmo, a avarência, a ganância… Tudo más qualidades que preenchem o mundo e o mudam para pior.

No entanto, não abandonou o mosteiro. Queria vingança! Tinha certeza de que o frade Welligton fora assassinado, o garoto podia ser novo mas não era burro, a morte dele não causou a mínima dor ou mudança, tirando o luto pois os frades exageraram nele, durou três semanas! Preguiça… Mais uns dos sete pecados capitais que os frades cometiam…

Depois da morte do homem, Órion deixara de ir às aulas, não fizera mais o seu trabalho, deixou de ir às missas, não prestava mais culto a Deus. Encontrou refúgio na biblioteca do mosteiro onde leu imenso e onde aprendeu tudo o que sabe.

Passou lá os quatro anos seguintes lendo dos mais diversos temas. Certo dia viu um livro que estava mais destacado que os outros. O livro tinha uma capa de couro grossa, bem acastanhada e velha com alguns detalhes dourados que decoravam a capa, provavelmente seriam finas tiras de ouro, e no centro da capa tinha o título em letras maiúsculas e bem grossas dizendo: INDEX. Órion sabia qual era aquele livro, era o livro que continha todos os títulos proibidos, deveria ser apenas uma cópia mas teria os títulos da mesma forma que o original, cheio de curiosidade abriu o livro e folheou as páginas amarelas e húmida, o típico cheiro da antiguidade encheu as narinas de Órion e se debruçou sobre os títulos.

Havia vários títulos mas os que saltavam à vista do jovem eram os Grimórios… Os grimórios são livros em que estão escritas receitas de magias e de feitiços assim como rituais e pactos para com seres sobrenaturais. Jacob ficou muito interessado e decidiu que tentaria lê-los.

Por baixo dos títulos estava escrito as bibliotecas privadas em que alguns eram guardados e encerrados para ninguém os ler, descobriu então que o mosteiro onde vivia tinha alguns exemplares… Procurou por toda a biblioteca os livros e nada…

No entanto, sabia que havia um livro de todos os registos no mosteiro e ficava ali mesmo na biblioteca com o “chefe” dos frades copistas. Mas como tirar o registo ao frade? Sorte a de Jacob… O frade era um dorminhoco e passava quase todo o dia comendo, só acordava pra orar e comer, facto que lhe deu a enorme barriga.

Quando o frade caiu num sono pesado Órion pôs o plano em ação, pegou o registo dos livros e começou a procurar pelos que lhe interessavam.

Descobriu o local onde estavam, procurou um bom local para se esconder e ler os livros em paz.

Passou messes enfiado naquela biblioteca lendo e relendo os feitiços e receitas de poções. Ainda assim continuava cético em relação à veracidade de tais encantamentos e decidiu experimentar. Nessa mesma noite saiu do mosteiro enquanto todos dormiam e procurou pelos ingredientes que precisava, voltou, ainda de noite, e tentou fazer a poção da forma como era indicado no grimório.

Só faltava decidir o alvo e como o fazer… Encerrado no seu quarto pensou em todos os planos… No dia seguinte decidiu que o seu alvo seria o frade mestre e que o mataria de uma forma muito incomum. Pegaria uma pequena adaga ia pôr algumas gotas da poção e quando passasse do lado do homem faria um pequeno corte no homem e fingiria ser sem querer, então esperaria pela morte do homem.

Era perto do meio dia quando saiu do seu quarto e procurou pelo seu objetivo, o encontrou vagueando pelo esbelto jardim central que brilhava sob a luz do Sol, provavelmente o único local mais agradável além da biblioteca para Órion. Chegou perto do homem, sorriu para não ser muito suspeito, segurou a adaga e passou de leve sob o roupão e carne do velho que se sentiu um pouco incomodado mas nem se importou com o garoto e apenas seguiu em frente.

No dia seguinte o pânico se instalou no mosteiro! O manda-chuva do mosteiro havia morrido, as notícias depressa se espalharam e a cidade entrou em alvoroço. “Quem teria sido o culpado?” Era o que estava na cabeça de todas as pessoas, mas ninguém havia visto o que causara a morte do homem.

Órion não ligou para isso, agora que sabia o poder que tinha em mãos continuou a estudar e a fazer mais poções. A que usara no primeiro alvo se chamava Abraço dos Gémeos, uma referência a Hypnos e Thanatos, Hypnos faz adormecer e Thanatos mata, uma outra se chamava Hálito do Dragão que provocava queimaduras e há medida que se espalhava pelo corpo ia degradando os órgãos os fazendo parar, tinha ainda uma chamada Maldição de Cronos que envelhecia as pessoas e as fazia morrer de velhice logo de seguida e ainda o Beijo de Lissa que fazia as pessoas enlouquecerem e cometerem suicídio e algumas vezes levavam outras pessoas com elas.

Um grito de desespero e medo se espalhavam pelo mosteiro, ninguém sabia o que estava a causar aquilo até sobrar apenas um… Órion… Os habitantes da cidade quando descobriram culparam-no de tudo e o condenaram à morte.

Ia ser enforcado em praça pública. Estava já preso e já alguém havia acionado a alavanca que o faria cair e partir o pescoço para morrer quando um brilho negro toma conta do corpo de Órion e desaparece.

Reaparece no mundo dos mortos onde decidiu prestar vassalagem a Hades e assim se tornou o espetro: Órion de Alraune, a Estrela Celeste da Bruxaria.


Última edição por Órion de Alraune em Seg Mar 16, 2015 11:39 am, editado 1 vez(es)
Convidado
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FICHA] - Órion de Alraune, Estrela Celeste da Bruxaria

Mensagem por Pandora em Qua Mar 11, 2015 4:37 pm



aprovado



Não vi muitos erros, fora bem narrado e a leitura não foi maçante. Preencheu todos os requisitos da ficha em forma correta sem esparecer nada que me fizesse parar ou "esbravejar negativamente". 
Créditos finais: Saint Battle of Gods


Pandora
Regentes
avatar

Ficha de Personagem
HP:
100/100  (100/100)
Cosmo:
100/100  (100/100)
Nível: 1

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum