Eleve seu cosmo além das constelações. A guerra está para começar.

[ RP FECHADA/FLASHBACK] Goodbye, my master, my friend and my father.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[ RP FECHADA/FLASHBACK] Goodbye, my master, my friend and my father.  Empty [ RP FECHADA/FLASHBACK] Goodbye, my master, my friend and my father.

Mensagem por Kyria de Aquário em Dom Jul 21 2019, 17:01

Goodbye
my master, my friend and my father.
Está é uma RP  FECHADA FLASHBACK. A RP irá começar com o post de @Ryella de Aquário, conta apenas com a participação de @Ryella de Aquário, apenas. A personagem se encontra na Casa de Aquário, sendo a primeira vez que a mesma adentra ao templo como sua guardiã. É noite, o tempo está quente do lado de fora, mas dentro do Templo a temperatura se encontra nitidamente baixa.


[ RP FECHADA/FLASHBACK] Goodbye, my master, my friend and my father.  Pmp1HR3
Kyria {de}Aquário

Semideusa :: Amazona de Ouro :: Aquariana :: Chama Ardente
Thanks Thay Vengeance @ Cupcake Graphics
Kyria de Aquário
Kyria de Aquário
Cavaleiros de Ouro
Mensagens : 76

Voltar ao Topo Ir em baixo

[ RP FECHADA/FLASHBACK] Goodbye, my master, my friend and my father.  Empty Re: [ RP FECHADA/FLASHBACK] Goodbye, my master, my friend and my father.

Mensagem por Kyria de Aquário em Sex Jul 26 2019, 19:59

Ryella
Amazona de Aquário e Protetora de Athena
A noite continuava escura e silenciosa, apenas a brisa soturna soprava tímida balançando as madeixas esmeraldas de Ryella. A jovem dirigiu o seu olhar dourado ao céu captando o brilho das estrelas que salpicavam todo o firmamento negro, podendo ver com clareza cada uma das constelações que se destacavam, principalmente Aquário. O brilho da constelação estava mais intenso naquela noite, como se guiasse os passos da garota até seu destino. Um pouco mais a frente seu olhar encontrou a lua prateada e solitária, sua luz era capaz de banhar todo o santuário desde o templo de Athena até as arenas de treinamento. Incrivelmente a noite mais triste para a jovem amazona, também era a mais bela que já havia visto em toda a sua vida. Um suspiro longo escapou por entre seus lábios róseos e seus ombros aparentemente relaxaram, precisava seguir em frente, mesmo que fosse difícil pensar nisso naquele momento, em todos os aspectos que aquele momento representava. Olhou a própria mão que agora estava coberta pela armadura dourada, não era pesada como havia imaginado tantas vezes e podia jurar que havia um leve brilho dourado sobre ela, estava ainda maravilhada com tudo aquilo.

Pensou em dar um passo a adiante, mas girou nos próprios calcanhares e sentiu que alguns pequenos fragmentos de mármore se desfizeram sob seus pés. O mármore que cobria o chão já havia passado por inúmeras batalhas, enfrentado chuva e sol, já havia testemunhado a morte de vários homens e mulheres, mas com certeza, nunca havia sido testemunha de um vazio tão grande como aquele nas doze casas. Durante todo o seu caminho, desde a casa de Áries não sentiu nenhum cosmo, havia um vazio perturbador entre as doze casas, algo que se não fosse o cosmo de Athena, estaria próximo a desolação de Hades. Por instinto a amazona cerrou o punho, sentindo o metal contra a pele e respirou fundo. Era a única guardiã até então de Athena, a única a proteger o caminho até Athena. E, no entanto, ainda era uma criança, uma menina que mal sabia sobre si própria, que mal havia resolvido seus próprios conflitos. Mesmo assim, mesmo trajando a imponente armadura de Aquário, sentia sobre suas costas o peso de sua jornada, sem ter com quem poder dividi-lo ou ao menos desabafar. Mais uma vez, estava sozinha. Como sempre havia sido.

Naquele momento a tristeza do santuário entranhou-se em Ryella de uma forma que não pode se defender e sentiu quando uma única lágrima solitária escorreu por seu rosto. A amazona sabia que quem havia trajado aquela armadura antes dela havia lutado até mesmo após a morte por Athena. Muitos podiam dizer que Camus era um traidor, mas Ella entendia o peso das escolhas que muitas vezes eram necessárias. Porém, aceitar seu próprio caminho naquele momento era difícil e a jovem se odiava por isso.  Havia treinado toda sua vida para aquele fim, havia devotado sua vida a causa de Athena mesmo antes de saber se atingiria seus objetivos e agora sentia medo? O que Jorah diria dela naquele instante? As longas madeixas esmeralda balançaram resvalando sobre a ombreira da armadura de ouro e com a destra a garota tirou a máscara de seu rosto, deixando que a brisa da noite beijasse as maçãs do rosto. Sua cabeça inclinou-se um pouco para trás e cerrou os olhos lentamente, vendo as constelações sumirem lentamente.

Sua mente foi invadida por lembranças que jurou a si mesma que estariam enterradas para sempre nos confins de sua mente. Mas foi inevitável se lembrar do sorriso de sua mãe, da forma como ela contava do homem que havia arrebatado seu coração e desaparecido. Durante anos odiou seu pai em silêncio e depois dobrou seus joelhos diante do túmulo dele, após descobrir toda a verdade sobre as circunstâncias de sua morte. Havia errado tantas vezes em seus julgamentos, tantas vezes havia sido imatura. Agora já não tinha mais tempo para isso, precisava olhar para frente e não para trás como fazia naquele momento. As onze casas que estavam abaixo dela eram seu passado e precisava deixa-lo bem ali. Aos pés da escadaria da Casa de Aquário. A mão esquerda escorregou suavemente pelas bochechas da amazona limpando as cristalinas lágrimas que expressavam toda a dor que Ella havia passado para chegar até ali. Buscou o ar com avidez enchendo seus pulmões e pouco a pouco abriu os olhos dourados novamente. Seu futuro estava à frente, era a sua posição de guardiã no templo a sua frente. Não podia temer o que os deuses haviam reservado para ela, Jorah havia confiado a ela a missão de proteger Athena e havia chegado muito mais longe do que seu mestre esperava, muito mais além do que poderia desejar. Um aperto no peito roubou o ar da amazona por breves instantes, mas sentiu seu coração se aquecer e ser tomado por um sentimento acolhedor, como se mãos suaves tocassem seu ombro encorajando-a para que continuasse.

Girou seu corpo e fitou a construção a frente, havia apenas um lance de escadas separando ambos. Seu pé direito foi o primeiro a encontrar um degrau e em seguida o esquerdo, passos vagarosos e contados, já que não tinha pressa em chegar ao seu destino. O som do metal contra o mármore era a única coisa que ecoava no local, já que até mesmo a brisa havia se tornado silenciosa naquele instante. Mas algo dentro da amazona havia mudado completamente, à medida que se aproximava da Casa de Aquário sentia mais e mais daquela presença, uma presença como ela nunca havia sentido antes. “— Que cosmos é esse? —” Se perguntou arqueando agudamente a sobrancelha direita. Era uma força esmagadora, mas ao mesmo tempo serena e morna, algo que aos poucos invadia o interior de Ryella, vibrando juntamente com seu cosmos congelante. Uma enorme ansiedade tomou conta da jovem, tinha certeza que todo aquele cosmos energia vinha da Casa de Aquário. Um leve receio tomou sua mente, ninguém habitava o templo a sua frente há trinta três anos, mas o cosmo que emanava estava longe de ser hostil.

O átrio da casa de Aquário encontrava-se engolido pela escuridão da noite, escondendo assim sua arquitetura e segredos. Ryella parou entre a luz e a escuridão, não podia mais ver sua sombra a sua frente, seus lábios ficaram levemente entre abertos enquanto pensava no que deveria fazer. Era resposta era uma só e a garota deu o primeiro passo rumo a escuridão, sem medo de mergulhar nela e em suas próprias trevas. Lentamente ergue sua mão direita e seu cosmos brilhou um pouco mais forte, conseguia sentir como ele estava mais poderoso, naquele momento se deu conta de como seus sentidos estavam ainda mais aflorados. Os cheiros estavam mais intensos, podia sentir com mais intensidade a brisa que tocava seu rosto e seus olhos conseguiam ver muito mais além do que antes. Mesmo na penumbra conseguia notar alguns detalhes da construção e caminhou até a lateral onde havia uma pequena tocha. Era engraçado que mesmo vivendo em um mundo um mundo tecnológico, no santuário era como se tivessem parado no tempo. Mas apenas a presença de seu cosmos fez com a chama se acendesse e em seguida várias outras enfileiradas surgiram, iluminando a Casa.

Não pode evitar o susto ao perceber todas as tochas acendendo misteriosamente, não havia ninguém além dela ali, ou pelo menos, era o que acreditava: “— Esse cosmo novamente! Ela não é hostil, mas vem acompanhando até aqui. —” Franziu o cenho ao ter a sensação que poderia estar sendo observada. Apesar de ser um lugar seguro, as doze casas permaneceram abandonadas por décadas, talvez alguém pudesse se infiltrar, aproveitar-se para tentar atacar a deusa: “— Não seja estúpida Ryella! Ninguém ousaria tamanha loucura.—” Pensou consigo mais uma vez. Os lábios rosados roçaram um sobre o outro novamente, sentia boca seca, talvez pela ansiedade que consumia seus pensamentos, deixando seus sentidos cada vez mais em alerta. A medida que avançava aquela sensação se tornava mais forte e mais intensa, tirando da jovem o estado de alerta que havia ficado devido a presença do estranho cosmo. Sentia a Casa de Aquário acolhe-la e até mais, sentia que toda a sua vida pertencia a aquele lugar, uma estranha sensação de chegar em casa e encontrar seu lugar.  Sentiu suas pálpebras pesarem contra sua vontade e o cheiro da maresia invadiu o olfato sem pedir licença. Poderia jurar que o frio tocava sua pele sob a armadura de aquário, lembrando quem ela era e de onde vinha.

— Ryella! — A voz ecoou através do salão e reverberou no corpo da amazona que girou abruptamente e com olhos espantados: — Há quanto tempo não via seu rosto. Não mudou muita coisa daquela garotinha que eu busquei nos confins da Sibéria. —  Ryella buscou algo para responder, mas as palavras lhe faltaram e acreditava que seus olhos estavam a lhe pregar uma peça naquele instante. Era impossível que ele estivesse ali. Ele estava morto e não fazia muito tempo que estava de joelhos diante do túmulo dele derramando suas lágrimas. Foi justamente por estar ali e sucumbir a tristeza que sentiu a presença de Athena, causando o despertar de seu cosmo de uma forma tão avassaladora. O homem de longos cabelos amarelos se aproximou, mas não a tocou, contentou-se em encarar seus olhos dourados: — Eu tinha certeza que você tinha um futuro grandioso. Eu sabia que havia um cosmos muito poderoso dentro de você, Ella. Também sei que você pode ir muito além do que já foi. Há uma força dentro de você, algo que eu não sei mensurar o quão poderoso pode ser. O cavaleiro que usou essa armadura antes de você deu a própria vida, mais de uma vez para salvar Athena. Sei que você honrará seu antecessor e o que veio antes dele. Assim como todas as gerações de cavaleiros. — Havia muita certeza em suas palavras e a jovem sentia o cosmo dele vibrar a cada palavra dita.

No entanto, a aquariana soltou a máscara no chão e foi tragada por suas incertezas e mágoas, havia tantas coisas que desejava dizer ou perguntar: — Jorah... — Sua voz vacilou e precisou respirar um pouco antes de continuar: — Eu não sei se posso. Eu não sei se consigo...  — Ela teria continuado, mas a voz de Jorah rompeu o átrio do templo como um trovão retumbante: — Nunca mais repita isso, Ryella de Aquário. Nunca mais. — Sua voz era incisiva e muito lembrava a época em que treinava a jovem a sua frente: — Eu lhe dei o meu melhor. Lhe ensinei com esmero e você se acha incapaz de usar a armadura que te escolheu? Sim Ryella! Foi a armadura quem te escolheu. Então nunca mais repita que não é capaz. Nunca mais duvide de suas habilidades.  Enquanto não acreditar no seu potencial, será apenas mais uma. Mas eu sei que você é mais do que isso. Eu sei que você é mais do que essas incertezas?  — Havia um misto de certeza e raiva em suas palavras. Ryella entedia que estava decepcionando o homem que havia dedicado sua vida a ela e a Athena e era horrível a sensação que aquilo lhe causava.

— Portanto lute mais do que você imaginou. Lute mais do que julgou ser capaz. Lute mais do que por sua vida. Lute pelo caminho que escolheu, pela missão que aceitou. Lute por Athena. Lute até quando acreditar que não é mais capaz. Somente assim saberá quais são seus verdadeiros limites. — Ao ouvi-lo dizer aquilo, tinha a sensação que a qualquer instante ele poderia acerta-la com um soco, como nos velhos tempos, mas ao contrário, ele levou a mão aos seus cabelos esmeralda, mas ela nada pode sentir, o que deixou um enorme vazio em seu peito: — Uma grande ameaça irá surgir. Algo como nunca vimos antes. Não pode haver dúvidas em seu coração. Eu estar aqui é uma prova de que algo perturba o equilíbrio do universo. Athena vai precisar de você e de todos os cavaleiros que em breve vão surgir. Por isso Ryella, não hesite! Não duvide. Você está onde devia estar. A armadura que cobre seu corpo é o reflexo da sua força. Do seu cosmos.  Eu posso não estar com você fisicamente, mas estarei em seu cosmos, estarei nas suas lembranças e acima de tudo. Estarei em todos os ensinamentos que eu te dei. Você nunca estará sozinha. Nem por um minuto. — Ele fez uma longa pausa e se distanciou da jovem: — Meu tempo é curto. Mas lembre-se de tudo que foi dito aqui. — Sua voz já não possuía a força de antes e parecia mais distante do que no começo.

Ela sabia que ele tinha razão, cada palavra dele era coberta por uma verdade assustadora, mas que ao mesmo tempo precisava enfrentar.  Ela cerrou seus punhos deixando as pontas de seus dedos vermelhas e então encarou os olhos celestes que aos poucos desapareciam: — Eu juro mestre. — A voz vacilou devido ao choro que não conseguiu conter ao ver Jorah desaparecer aos poucos a sua frente: — Juro que protegerei Athena! A protegerei até meu último suspiro e enquanto meu coração bater. Não se preocupe, Jorah. Não vou lhe decepcionar. — Não sabia se ele havia escutado as últimas palavras, já que não podia mais vê-lo. Seu peito encheu-se de uma saudade terna, ao mesmo tempo que as lágrimas já não tinham a amargura da dor. Levou a ponta dos dedos as maçãs do rosto limpando as últimas lágrimas que ali haviam escorrido. Assumiria sua posição como amazona e não mais hesitaria, era muito mais do que sua vida que estava em jogo. Era o mundo. Sentiu nas palavras de Jorah a despedida que não tiveram, com o tempo sabia que aquela sensação ruim passaria. Ryella já não tinha mais amarras com o passado. Seguiria olhando somente para o futuro já que esse era o certo. Mas o amor por seu mestre, perduraria para sempre.
Ryella de Aquário está sozinha na cada de Aquário.


[ RP FECHADA/FLASHBACK] Goodbye, my master, my friend and my father.  Pmp1HR3
Kyria {de}Aquário

Semideusa :: Amazona de Ouro :: Aquariana :: Chama Ardente
Thanks Thay Vengeance @ Cupcake Graphics
Kyria de Aquário
Kyria de Aquário
Cavaleiros de Ouro
Mensagens : 76

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum